Sobre celulares (smartphones), publicidade e disponibilidade.

Já falamos aqui sobre Mobilidade Multimídia e as aplicações (clique aqui para ler o post) que têm levado a um processo de interação entre os usuários de smartphones e produtos, serviços e as mídias digitais, servindo como uma ponte para as Redes Sociais – digitais ou não.

Sobre a “sociedade em rede”, Manuel Castells (A Sociedade em Rede, 1999) apresenta diversos aspectos da revolução tecnológica e as implicações para uma nova economia, um novo trabalho, uma nova cultura e um novo tempo [leitura fortemente recomendada!!] e, considerando a relevância de todas estas mudanças que têm ocorrido, alguns novos paradigmas têm alterado o comportamento de todos nós, produtores e consumidores, sabendo que o processo de interação não mais se apresenta como antes.

“A particularidade contemporânea é a hegemonia de um conjunto de redes, as redes telemáticas, que passam a integrar, e mesmo a “comandar” (…)” (LEMOS, André. Celulares, funções pós-midiáticas, cidade e mobilidade) e, sobre essa mobilidade, vemos novas formas de conquistar ou se aproximar de clientes potenciais – aplicativos que indicam localização geográfica, outros de fotografia que integram os demais aplicativos que utilizam o GPS e as Redes Sociais Digitais ou os de Redes Sociais Digitais que integram tudo que foi falado anteriormente, tudo com o objetivo de usar a mobilidade que o smartphone possui, para garantir que novas ações publicitárias sejam efetivas e estejam presentes, onde seu público está, seja presencial ou virtualmente.

Para entender sobre os comentários, recomendo conhecer como funcionam os aplicativos Instagram, FourSquare e demais apps de Redes Sociais (como o Facebook).

Mas, para entender sobre o “disponibilidade” do título deste post, veja esta divertida talk  do Renny Gleeson, com 3min47s de duração, sobre o comportamento anti-social dos usuários de smartphones…(:

Comunicação multimídia: uma discussão.

Os aficionados por novas tecnologias ficam atentos às conferências e demais eventos que apresentam ao grande público os novos dispositivos capazes de fazer coisas nunca antes vistas, apenas imaginadas, ou ainda nunca antes imaginadas pelo indivíduo comum.

Considerando que cada uma dessas novas tecnologias terá sua parcela de contribuição em um novo paradigma, em muitas áreas de conhecimento humano, a influência nas práticas profissionais surgem, criando novas funções para algumas dessas áreas.

Caracterizados por um alto nível de interação, os novos meios e formatos de comunicação e de publicidade, trazem também novos conceitos de atuação dos profissionais envolvidos nessas áreas: computador, celular (smartphone), TVDi e Rádio Digital.

Dentre os novos conceitos, pode-se falar sobre a função do publicitário e os objetivos de seus trabalhos. Nas palavras de Adler e Firestone, citados por Sprandel, “se a influência da publicidade sobre o consumo é questionável, então o que é que ela faz? A publicidade é um fator importante e muitas vezes crítico na construção e manutenção do valor de uma marca” (SPRANDEL, 2009).

As pesquisas geradas pela Computação e Informática, pelas Engenharias, pela Comunicação Social etc. têm influência direta nas ideias que surgem para alcançar esse público que deseja, sobretudo, algo que seja de confiança para sua vida e seu bem-estar.

No vídeo abaixo, a apresentação de um projeto da IBM, o “Think”, um aplicativo para iOS que disponibiliza, aos seus usuários, acesso às tecnologias desde os primórdios, passando, é claro, pelas criações da empresa, campeã em patentes nos Estados Unidos tendo registrado mais de cinco mil patentes em um ano.

O vídeo pode ser visto por diferentes pontos de vista, encontre o seu ao assisti-lo (o áudio está em inglês, mas pode escolher as legendas no seu idioma).

Neste outro vídeo, a experiência do app, em outra dimensão de experiência.