“A história esquecida do autismo” – Série Autismo Parte 1/10

O dia 2 de abril é celebrado como o Dia Mundial da Conscientização do Autismo ou, simplesmente Dia Mundial do Autismo. Embora não seja profissional da área de saúde, que tenha uma contribuição profissional para dar nesta discussão, sou professor, e enquanto um profissional da Educação, o interesse vem para minimizar os níveis de ignorância sobre o tema e contribuir para tornar mínimo também o estigma social que o termo carrega, especialmente pela falta de informação da população.

O assunto veio para mim em consequência de outro, no consultório da pediatra do meu filho. Falávamos de vacinas e acabamos por chegar na menção das campanhas contra a vacinação encabeçadas por pais americanos ou europeus, com a falsa alegação de que tais vacinas causavam a “epidemia” de autismo que se via na sociedade, como nunca se viu em outros tempos. Tais decisões, as dos pais, põem em risco as campanhas de erradicação de doenças facilmente evitáveis mas que são potencialmente perigosas para as crianças, a exemplo do sarampo.

A origem deste equívoco está baseado num artigo publicado, e posteriormente desmentido e retratado, pela “British Medical Journal”, mas o estrago já estava feito e muita gente continua acreditando que a vacina causa autismo.

Mas, qual a causa deste medo e deste estigma social tão grande?

Numa série de 10 posts com este tema, trarei uma seleção de discussões sobre o espectro autista, com o objetivo de ver e ouvir histórias e relatos de pessoas que lidam ou vivem com o autismo.

O vídeo abaixo apresenta em 13min48s um pouco desta história, e só então para você entender um pouco mais disto tudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *