Sobre celulares (smartphones), publicidade e disponibilidade.

Já falamos aqui sobre Mobilidade Multimídia e as aplicações (clique aqui para ler o post) que têm levado a um processo de interação entre os usuários de smartphones e produtos, serviços e as mídias digitais, servindo como uma ponte para as Redes Sociais – digitais ou não.

Sobre a “sociedade em rede”, Manuel Castells (A Sociedade em Rede, 1999) apresenta diversos aspectos da revolução tecnológica e as implicações para uma nova economia, um novo trabalho, uma nova cultura e um novo tempo [leitura fortemente recomendada!!] e, considerando a relevância de todas estas mudanças que têm ocorrido, alguns novos paradigmas têm alterado o comportamento de todos nós, produtores e consumidores, sabendo que o processo de interação não mais se apresenta como antes.

“A particularidade contemporânea é a hegemonia de um conjunto de redes, as redes telemáticas, que passam a integrar, e mesmo a “comandar” (…)” (LEMOS, André. Celulares, funções pós-midiáticas, cidade e mobilidade) e, sobre essa mobilidade, vemos novas formas de conquistar ou se aproximar de clientes potenciais – aplicativos que indicam localização geográfica, outros de fotografia que integram os demais aplicativos que utilizam o GPS e as Redes Sociais Digitais ou os de Redes Sociais Digitais que integram tudo que foi falado anteriormente, tudo com o objetivo de usar a mobilidade que o smartphone possui, para garantir que novas ações publicitárias sejam efetivas e estejam presentes, onde seu público está, seja presencial ou virtualmente.

Para entender sobre os comentários, recomendo conhecer como funcionam os aplicativos Instagram, FourSquare e demais apps de Redes Sociais (como o Facebook).

Mas, para entender sobre o “disponibilidade” do título deste post, veja esta divertida talk  do Renny Gleeson, com 3min47s de duração, sobre o comportamento anti-social dos usuários de smartphones…(:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *