Sobre celulares (smartphones), publicidade e disponibilidade.

Já falamos aqui sobre Mobilidade Multimídia e as aplicações (clique aqui para ler o post) que têm levado a um processo de interação entre os usuários de smartphones e produtos, serviços e as mídias digitais, servindo como uma ponte para as Redes Sociais – digitais ou não.

Sobre a “sociedade em rede”, Manuel Castells (A Sociedade em Rede, 1999) apresenta diversos aspectos da revolução tecnológica e as implicações para uma nova economia, um novo trabalho, uma nova cultura e um novo tempo [leitura fortemente recomendada!!] e, considerando a relevância de todas estas mudanças que têm ocorrido, alguns novos paradigmas têm alterado o comportamento de todos nós, produtores e consumidores, sabendo que o processo de interação não mais se apresenta como antes.

“A particularidade contemporânea é a hegemonia de um conjunto de redes, as redes telemáticas, que passam a integrar, e mesmo a “comandar” (…)” (LEMOS, André. Celulares, funções pós-midiáticas, cidade e mobilidade) e, sobre essa mobilidade, vemos novas formas de conquistar ou se aproximar de clientes potenciais – aplicativos que indicam localização geográfica, outros de fotografia que integram os demais aplicativos que utilizam o GPS e as Redes Sociais Digitais ou os de Redes Sociais Digitais que integram tudo que foi falado anteriormente, tudo com o objetivo de usar a mobilidade que o smartphone possui, para garantir que novas ações publicitárias sejam efetivas e estejam presentes, onde seu público está, seja presencial ou virtualmente.

Para entender sobre os comentários, recomendo conhecer como funcionam os aplicativos Instagram, FourSquare e demais apps de Redes Sociais (como o Facebook).

Mas, para entender sobre o “disponibilidade” do título deste post, veja esta divertida talk  do Renny Gleeson, com 3min47s de duração, sobre o comportamento anti-social dos usuários de smartphones…(:

Redes Sociais Digitais: “princípios para um mundo aberto”.

Muito tem-se falado acerca das redes sociais digitais, desde a grande exposição que as pessoas praticam em busca de notoriedade e fama instantânea, até os aspectos de movimento político capaz de gerar mudanças de enorme valor social. O escritor Don … Continue lendo

Realidade Aumentada, mais qualidade na interatividade.

O avanço da multimídia e da realidade virtual, proporcionado pela maior potência dos computadores, permitiu a integração, em tempo real, de vídeo e ambientes virtuais interativos. Ao mesmo tempo, o aumento da largura de banda das redes de computadores também vem influenciando positivamente na evolução da multimídia, permitindo a transferência de imagens e outros fluxos de informação com eficiência. (Claudio Kirner e Romero Tori).

Para muitos daqueles interessados em Realidade Aumentada, uma das suas mais importantes características é a maneira com a qual faz possível a transformação do foco de interação. O sistema de interação já não é uma localização precisa, mas sim o ambiente como um todo; interação não mais é uma simples troca “face-monitor”, agora se dissolve no espaço e objetos em volta. Utilizar um sistema de informação não é mais exclusivamente um ato consciente e intencional.

Realidade Aumentada (RA) é a integração de informações virtuais a visualizações do mundo real (como, por exemplo, através de uma câmera). Atualmente, a maior parte das pesquisas em RA está ligada ao uso de vídeos transmitidos ao vivo, que são digitalmente processados e “ampliados” pela adição de gráficos criados pelo computador. Pesquisas avançadas incluem uso de rastreamento de dados em movimento, reconhecimento de marcadores confiáveis utilizando mecanismos de visão, e a construção de ambientes controlados contendo qualquer número de sensores e atuadores.

“A tecnologia da Realidade Aumentada surgiu prometendo derrubar algumas barreiras da interação na comunicação promocional e publicitária.”

Entre as várias possibilidades para a aplicação da RA, encontra-se a publicidade e propaganda. Alguns autores dizem que  “o sem-número de possibilidades que a internet proporciona para formatos e estilos de publicidade oferecem uma mudança imediata da postura passiva do consumidor para uma postura, no mínimo, ativa, caminho para alcançar a interatividade, que está presente de forma mais delineada apenas em algumas ações”.

Para o encanto de todos, uma talk de Marco Tempest (TEDTalk) para ilustrar o uso de realidade aumentada para entretenimento. Além da interação, preste atenção no conteúdo desta palestra. São 5min36s de mágica tecnológica. Enjoy it!